domingo, 11 de fevereiro de 2007

The Beatles, Rubber Soul (1965)


Em 1965, intuitivamente, John, Paul, George e Ringo buscavam novos caminhos para suas carreiras nos Beatles. George e Ringo também queriam ser protagonistas. E John e Paul queriam superar os arquétipos dos primeiros anos da banda: o de que John era o rebelde e Paul, o noivo ideal.

Deu certo. Não é à toa, que o melhor rock do disco é de Paul: “Drive My Car”, e que as melhores baladas são de John: “In My Life”, “Norwegian Wood” e “Girl”. George contribui com duas músicas, a perfeita “If I Needed Someone” e o rock “Think For Yourself”. Ringo, por sua vez, é co-autor da faixa que cantou, o country “What Goes On” e, pasme, toca órgão hammond na belíssima “I´m Looking Through You”, de Paul.

A banda trazia novidades nos arranjos. As faixas não ficavam no clichê rock ou balada, e como já vinha sendo demonstrado desde 1964, o critério básico dos Beatles para incluir uma música num álbum, era ter uma boa canção, preferencialmente com alguma novidade, lírica ou musical. Percebe-se também no álbum a influência americana: Bob Dylan, sobre Lennon, na letra de “Norwegian...”, os Byrds sobre George em “If I Needed...”, cujo riff lembra muito o “The Bells of Rhymney” e ecos de Beach Boys e Byrds nos vocais de quase todas as faixas.

Todos os vocais são em dueto ou em trio, tudo com todas as terças, quintas e oitavas que vocês puderem imaginar. Outra curiosidade: em “Rubber Soul”, George toca cítara pela primeira vez num LP da banda, em “Norwegian...”. E o disco ainda tem “Nowhere Man”, balada com solo de guitarra e vocais sensacionais.
Cotação: *****


Other stuff: O encarte do CD que eu tenho (o primeiro álbum dos Beatles, que eu comprei em CD) edita muito mal o conteúdo original. As fotos, de Robert Freeman, por exemplo, estão pessimamente editadas, parece que foram escaneadas de alguma capa velha. O encarte contém informações completas sobre os arranjos vocais e quem toca os instrumentos diferentes.
Cotação: **1/2

2 comentários:

Mauro disse...

Grande Zoyd,
Muito bem escolhidos os petardos comentados. O encarte em cd, não só do Rubber Soul, mas de todos discos dos beatles é nojento se comparado aos LP`s. Aguardamos uma prensagem digna dos caras. Já remasterizaram e corrigiram encarte de muitas bandas contemporânea aos Beatles (Stones, Who, Kinks, Beach Boys, Byrds, Hendrix, Floyd), por que não dos Beatles? O encarte do Viva Hate em cd é medonho, não tem letras, nem creditos, só uma foto de um cartaz de show do Morrisey uns cinco anos pra frente da gravação do disco. A capa é outra coisa ridicula também, uma foto putassa do morrissey parecendo o double you. O unico ponto positivo são as oito bonus tracks com material que ficou de fora, mais pauleira. Vale a pena copiar, mas guarde o disco com vc (ou presenteie para um grande irmão, como fiz, ou toque fogo, sei lá, é seu faça o que quizer, contanto que ouça! rs..rs..).
Até mais.
Mauro.

MO disse...

Sensacional o seu comentário!!!Concordo plenamente com a avaliação sobre os encartes. O pior é que um CD dos Beatles custa R$ 39!